Agricultura Biológica

Compostagem

Horta

Auxiliares

Viveiro

Página Inicial

 

Agricultura Biológica

    A agricultura actual é uma das principais fontes de poluição da água, do solo e do ar devido a práticas erradas, como a utilização desregrada de certos produtos químicos.

    Na agricultura biológica só são utilizadas praticas que não afectem negativamente o ambiente. Não são usados pesticidas nem herbicidas de síntese e os fertilizantes utilizados são naturais, provenientes da compostagem dos resíduos orgânicos. Outras práticas culturais são essenciais na agricultura biológica, como a manutenção da diversidade das culturas, a selecção de culturas adaptadas às condições da região, a rotação de culturas e as consociações.

    Para a agricultura biológica a saúde do solo é considerada como fundamental para a saúde das plantas, e os seres vivos são considerados preciosos auxiliares no combate de pragas e doenças.

    Por fim, a agricultura biológica enquadra-se num desenvolvimento sustentável pois tem em conta a qualidade de vida das gerações presentes e futuras, nesta casa chamada Terra.  

 

 

Compostagem

    A compostagem é um processo desempenhado por microorganismos que decompõem a matéria orgânica, transformando-a num fertilizante natural de alta qualidade – o composto. O composto fornece ao solo os nutrientes que as plantas precisam para viver.

  

 Há várias várias formas de fazer compostagem.

 

Materiais que podem ser compostados

restos e cascas de legumes e frutas
borras de café
arroz
massa e cereais
cascas de ovos esmagadas
folhas e sacos de chá
 restos de pão
(pouco) 

restos de comida cozinhada (pouco e excepto carne, peixe, ossos e espinhas)

feno e palha
aparas de madeira e serradura
aparas de relva e erva seca
folhas secas
ramos pequenos
 cinzas de madeira
(pouco)                  papel e cartão (pouco)

 

 Para que a compostagem decorra da melhor forma, é importante proceder à colocação dos materiais no compostor em várias camadas, intercalando materiais secos (folhas e ramos) com materiais húmidos (estrumes e resíduos verdes).

 

 

Questões mais frequentes:

 

Se...

 

Então...

 

Se aparecerem minhocas, bichos

da conta, caracóis ...

Não te preocupes, são animais preciosos porque transformam rapidamente o teu lixo em adubo.

 

Se estiver seco...

Junta água, o composto deve estar húmido como

uma esponja acabada de espremer. 

Se aparecerem roedores e

moscas...

Certifica-te que não colocaste carne nem peixe

na pilha, cobre-a com folhas secas, serradura ou

palha. Nunca deixes comida à vista.

Se cheirar a amónia ou a ovos

podres...

Junta folhas secas, areja e mistura palha,

serradura ou bocados de papel. 

Se o composto cheirar a terra...

Excelente, podes fertilizar as tuas plantas. Convém deixar repousar durante umas

semanas.

Se o volume baixar muito...

É muito bom sinal, o teu lixo está a ser

transformado em adubo natural.

Se a pilha não aquecer...

Certifica-te se há diversidade suficiente na pilha, mistura os verdes com os secos. A pilha deve ter tamanho e humidade suficientes.

Se saírem vapores...

Não te assustes, é calor a sair e é sinal que o

composto está a “cozinhar”.

Horta

Passos para a implantação da horta

  

1º Passo LOCALIZAÇÃO

O local apropriado para o cultivo das plantas hortícolas deve apresentar as seguintes características:

,Terreno plano;

,Boa luminosidade e voltado para o nascente;

,Disponibilidade de água para irrigação e boa drenagem.

 

2º Passo FERRAMENTAS

Algumas ferramentas são essenciais para a preparação do terreno e plantação das plantas hortícolas:

,Enxada: é utilizado para cavar e revolver a terra.

,Regador: serve para irrigar a horta.

,Ancinho: é utilizado para remover torrões, pedaços de pedra e outros objectos, além de nivelar o terreno.

,Sacho: é uma enxada menor que serve para abrir pequenas covas, sachar e afofar a terra.

,Carrinho-de-mão: é utilizado para transportar terra, adubos e ferramentas.

  

3º Passo PREPARAÇÃO DO TERRENO

Antes de iniciar a preparação dos canteiros, deve-se limpar o terreno com auxílio de algumas ferramentas como enxada, ancinho e carrinho-de-mão.

,Com auxílio de uma enxada, revira-se a terra a uns 15cm de profundidade.

,Com o ancinho, desmancham-se os torrões, retirando pedras e outros objectos, nivelando o terreno.

,Iniciar a demarcação dos canteiros com auxílio de estacas e cordas.

,Caso o solo necessite de correcção, podem ser utilizadas cal hidratada ou serragem.

  

4º Passo ADUBAÇÃO DOS CANTEIROS

Como fazer adubo natural?

Resíduos vegetais e animais, tais como palhas, galhos, restos de cultura, cascas e polpas de frutas, pó de café, folhas, esterco e outros, quando acumulados são decompostos e, com o tempo, transformam-se em adubo orgânico ou húmus, também conhecido por composto.

O composto deve ser colocado na horta para posteriormente fazer os canteiros.

 

5º Passo PLANIFICAÇÃO DA HORTA

,A selecção das plantas a cultivar na horta, deve ser feita sempre que possível recorrendo a um leque diversificado de culturas, tendo em atenção o ciclo de vida das várias plantas. No caso de algumas plantas poderá recorrer-se à sementeira directa (em local definitivo), para outras terá de recorrer-se à sementeira em viveiro, para posterior transplante.

,O espaçamento na linha e na entre-linha  varia de acordo com a planta.

  

6º Passo COMO CUIDAR DA HORTA

A horta deve ser regada regularmente. O solo não pode ficar encharcado para evitar o aparecimento de fungos. A horta tem que ser mantida limpa, as ervas daninhas e outras sujidades devem ser retiradas diariamente com a mão. A cada colheita, deve ser feita a reposição do composto para garantir a qualidade da terra e dos produtos hortícolas.

 

Auxiliares

   

Um ecossistema em equilíbrio, é um ecossistema com mecanismos de auto controle, capazes de responder a situações inesperadas, como pragas e doenças.

 

A manutenção do equilíbrio do ecossistema agrícola é, para a agricultura biológica, a melhor forma de prevenir pragas e doenças.

 

Um ecossistema agrícola em equilíbrio permite a existência de uma diversidade imensa de seres vivos que são verdadeiros auxiliares do Homem, na prevenção de pragas e doenças das hortas e pomares.

 

 

Muitas práticas culturais são importastes na manutenção deste equilíbrio, entre elas os cuidados com o solo e a selecção de culturas intercalares eficazes na prevenção de determinadas pragas e doenças.

 

O conhecimento das doenças, pragas e auxiliares mais comuns numa horta é muito importante para garantir uma boa vigilância, quase diária, que permita detectar de imediato se alguma coisa não estiver a correr bem… 

 

Em situação de praga ou doença, existem na agricultura biológica diferentes métodos de luta, que não afectam negativamente o ecossistema. Existem meios de luta físicos, biológicos e químicos, cujo uso deverá ser ponderado mediante a situação.

Viveiro

(Texto em construção)